Shawn Craham: “Eu perdi meus pais e não foi tão difícil como perder Paul”

October 21, 2014 in .5: The Gray Chapter, All Hope is Gone, Banda, Brenna Gray, Chris Fehn, Corey Taylor, Craig Jones, Custer, Goodbye, James Root, Joey Jordison, Knotfest 2014, Mick Thomson, Paul Gray, Sarcastrophe, Self Titled, Shawn Crahan, Sid Wilson, Skeptic, Slipknot, The Negative One, Vol. 3: (The Subliminal Verses)

10649082_381118058705106_3135756592890635079_o

“Eu não costumo deixar as pessoas me verem chorar”, diz o percussionista Shawn Crahan, do Slipknot, com naturalidade. “É muito difícil. Mas quando eu ouvi o que Corey Taylor cantou na música ‘XIX’, eu chorei e chorei e chorei. Doía demais.”

“XIX” é o canto fúnebre que começa o .5: The Gray Chapter, quinto álbum de estúdio dos ameaçadores mascarados do metal, primeiro desde a morte de seu amigo e companheiro de banda Paul Gray, ocorrido em 2010. Crahan, mais conhecido por usar uma máscara de palhaço ensanguentada e convulsionar seu corpo durante os shows frenéticos da banda, tinha construído a faixa como um elogio de três minutos para Gray, baixista fundador do grupo, que morreu de uma overdose acidental de morfina e fentanil analgésico. Crahan falou as palavras de abertura da canção: “”This song is not for the living; this song is for the dead”. (Esta música não é para os vivos, é para os mortos) Mas são as letras que o vocalista Corey Taylor escreveu que o levou às lágrimas: “Walk with me, just like we should have done right from the start/Walk with me, don’t let this fucking world tear you apart” (Caminhe comigo, assim como deveríamos ter feito desde o início/Caminhe comigo, não deixe que a droga desse mundo acabe com você).

Read the rest of this entry →

Inquérito sobre a morte de Paul Gray é arquivado

August 1, 2014 in Banda, Corey Taylor, Daniel Baldi, Donnie Steele, Paul Gray, Slipknot

Late SLIPKNOT Bassist PAUL GRAY's Wife's Lawsuit Against Doctor Is Dismissed

De acordo com o Des Moines Register, uma ação judicial movida pela viúva do baixista do Slipknot, Paul Gray, contra seu ex-médico, foi arquivada.

O juíz Dennis Stovall (do Polk County District) decidiu que Brenna Gray esperou até depois do prazo de prescrição de dois anos acabar para entrar com o processo contra o médico, antes de arquivar o processo contra o Dr. Daniel Baldi.

Paul Gray foi encontrado morto em 24 de maio de 2010, após uma overdose de remédios em um quarto de hotel em um subúrbio de Des Moines, Iowa, terra natal do baixista e do Slipknot. A Brenna entrou com o processo em 14 de fevereiro de 2014.

O advogado de Brenna Gray, Bruce Stoltze, argumentou que o prazo prescricional não deveria ter começado até que Brenna tivesse razão para acreditar que Baldi causou a morte de seu marido, mas o juiz discordou.

Daniel Baldi foi absolvido em maio das sete acusações criminais de homicídio involuntário. Ele foi acusado de causar a morte de seus pacientes com seus hábitos descuidados de prescrição.

Brenna Gray testemunhou durante o julgamento que as últimas semanas de Paul foram um borrão extremo de abuso de remédios“, que nem o médico, nem seus companheiros de banda ajudaram a sua esposa a enfrentar. Ela disse que Baldi continuou a prescrever Xanax para Paul, apesar de saber que o músico era um viciado em remédios, dizendo: “Eu só não tinha certeza porque ele estava daquele jeito, porque ele precisava de tudo aquilo, juntamente com a medicação que ele estava tomando e se viciando.

O advogado de Baldi, ao interrogar Brenna, perguntou se ela estava ciente de que seu marido teve uma overdose de fentanil, morfina e analgésicos, nenhum dos quais Baldi havia prescrito para ele.

Brenna também testemunhou que ela tentou chegar a alguns dos colegas de banda de Paul poucos dias antes da morte do baixista, mas que nenhum deles queria se envolver. Ela revelou: Um foi jogar golfe em um lugar que fica a dois minutos da nossa casa, mas não pôde vir. Ninguém mais se importava, ninguém estava envolvido. Eles me disseram que era meu problema.

Corey Taylor revelou ao The Pulse Of Radio no dia de aniversário de um ano da morte de Paul Gray, como se sentia sobre a perda de seu amigo e companheiro de banda. “Eu  sinto falta dele, sabe”, disse ele. “Eu sinto muita falta dele, por vezes eu sinto como se ele não tivesse morrido e há momentos em que eu estou pensando e ele está nos meus pensamentos e eu tenho que parar e dizer, ‘Oh, meu Deus, ele não está aqui . Mas você sabe, eu quero dizer, não há um só dia que passa que eu não sinta a falta dele, eu quero dizer, tanto a banda quanto eu.” Eu desejava que ele estivesse aqui para ver  sua filha crescer

Brenna revelou em uma entrevista de 2011 para a Revolver que seu marido havia concordado em obter ajuda sobre o seu problema com remédios apenas um dia antes de morrer.

Paul Gray tinha 38 anos no momento de sua morte. Ele deixou sua viúva e uma filha, October, que nasceu três meses após a sua morte.

Depois de um longo hiato, O Slipknot retornou em turnê em 2011, com Donnie Steele tocando baixo ao vivo. A banda terminou recentemente seu primeiro álbum sem Gray.

 

Fonte: BlabberMouth.Net

Shawn Crahan e Brenna prestam depoimento sobre Daniel Baldi

September 6, 2012 in Banda, Daniel Baldi, Paul Gray

Após as acusações de homicídio culposo contra Daniel Baldi, médico de Paul Gray, Shawn Crahan e Brenna (ex-mulher de Paul) prestaram depoimento sobre o caso. Além dele, mais sete pessoas foram ouvidas, mas seus nomes não foram divulgados.

A polícia de Urbandale, local onde Paul foi encontrado, descreveu a cena do crime como “uma loucura de frascos de remédios e pílulas”, incluindo Suboxone.

Perguntado sobre o caso, Shawn disse:

“Nada vai trazer nosso irmão de volta. Esse tipo de atividade (o exagero na prescrição de narcóticos) está se tornando cada vez mais evidente. Isso está se tornando um problema, e o alerta nesse caso é mais que necessário”

Shawn deixa claro que ele se refere não só ao caso do abuso dessas substâncias, mas também a facilidade para obte-las e sua eficiência.

“Espero que a justiça seja feita,” diz Shawn.

Nancy, mãe de Paul, não estava entre as testemunhas do caso. Antes de Boldi ir ao tribunal na quarta-feira, ela disse que não havia nada que ela pudesse fazer para trazer Paul de volta. Ela também disse que Paul era paciente de Baldi, e recomendou a mãe para que fizesse tratamento contra dor crônica com o médico.

Ainda não há informações sobre o julgamento. De acordo com o Des Moines Register, a banda fará um pronunciamento sobre o caso hoje.

Thanks to: Maggots Plague / Fonte: Des Moines Register