by Hannya

Corey Taylor planeja um cd de música eletronica: o ‘Boogie Knight Rises’

November 27, 2012 in Banda, Corey Taylor, Shawn Crahan by Hannya


Corey, que no começo da semana mostrou interesse em trabalhar com o Justin Bieber, abriu-se sobre suas ideias em se aventurar na música eletrônica, dizendo que ele queria fazer alguma coisa “engraçada e sarcástica” com a música no futuro. Ele também explicou que qualquer projeto não seguiria o tipo do Korn e não abaraçaria o dubstep music, chamando o genêro de “cansativo” e uma “droga”.

Falando a Revolver sobre seus planos, Corey disse: “Eu quero fazer… Alguma coisa engraçada e sarcástica e eu não estou falando dos anos 70 (e) nada sobre aquele droga de dubstep. Eu quero fazer algo que tenha o sentimento old school mas com uma pontada moderna. Chegaria a ser ridículo. Eu já tenho um nome – o Boogie Knight. E eu quero chamar o primeiro cd de ‘The Boogie Knight Rises’”.

Corey voltará ao reino Unido em 2013 quando o Slipknot será a atração principal do Download Festival. Eles se juntarão às outras atrações: Rammstein e Iron Maiden assim como o Queens of the Stone Age, Alice in Chains e 30 Seconds To Mars. A banda mascarada será a atração principal no dia 14 de junho ao lado de Rammstein e Iron Maiden. Falando sobre a data – que será a segunda vez que a banda vai tocar como atração principal do festival desde sua última performance em 2009 – Clown disse: “Nós estamos extremamente honrados de termos sido chamados novamente para nos apresentarmos no Download Festival. Esta vai ser definitivamente uma experiência que não pode ser perdida. Todas as vezes que nós tocamos no Download nós criamos memórias.”

Fonte: NME

Clown vai para ‘Hollywood’

November 23, 2012 in Banda by Slipknot Brasil

M. Shawn Crahan, também conhecido como Clown, do Slipknot, irá dirigir o vídeo de “We Are”, do Hollywood Undead, novo single do álbum Notes From the Underground, quarto da banda.
Sobre a seleção, Da Kurlzz disse, “Nós estamos muito entusiasmados de trabalhar com alguém que pensa tão progressivamente sobre sua arte quanto nós. Clown é um grande diretor, e juntos nós vamos entregar algo realmente memorável.”

Crahan fez sua estréia como ator em um thriller chamado The Devil’s Carnival, que saiu no início deste ano. O filme, baseado em um parque temático do inferno, foi dirigido por Darren Lynn Bousman, também conhecido pelo sucesso cult, Repo! The Genetic Opera

Fonte: Noisecreep

Entrevista: Corey Taylor para o Metal Sucks

November 19, 2012 in Banda, Corey Taylor by Slipknot Brasil

A última vez que entrevistei Corey Taylor foi, mais ou menos, seis meses (ou mais) após a morte do baixista do Slipknot, Paul Gray. Na época, ele estava compreensivelmente frustrado pela pressão, vinda dos fãs, para fazer um pronunciamento sobre o fututo do Slipknot:

“Parece que, quanto mais nós tentamos explicar, ninguém ouve a resposta. Parece que eles estão esperando pela resposta que eles querem ouvir. Nós saímos da nossa maneira para garantir que nossos fãs saibam de tudo mas, no fim do dia, os fãs têm que confiar em nós. O pior de tudo é que, quanto mais nós queremos nos afastar – nós ainda estamos lidando com o fato de que nosso irmão está morto. Isso pode se abalar quando, tudo o que as pessoas querem saber é quando nós vamos nos reunir novamente. Será que eles não perceberam que nós nunca, realmente, nunca vamos voltar a ficar juntos? Um de nossos membros fundadores se foi. Nunca mais será a mesma coisa, sabe? As pessoas não entendem isso. Eu tento não ser amargo e não insultar, mas está ficando cada vez mais difícil. Brutal, cara.”

Então para nossa segunda entrevista, Taylor está com um humor muito melhor. O que é favorável, porque eu só tinha perguntas bobas para ele. Aqui está o que ele tem a dizer…

Bom dia, Corey!

E ai, cara. Tudo certo?

Alguma coisa empolgante acontecendo agora?

Oh bem, você sabe… Não muito, não. Está chegando perto das 10h da noite aqui e eu acabei de colocar meu filho na cama. E agora eu estou tentando limpar a bagunça bizarra que ele parece fazer todos os dias.]

Uau, a vida hedonia de um rock star. Você é um animal domesticado esses dias…

Eu ainda tenho minhas explosões… [risos]. É tipo, quando eu não estou zoando o Papa ou Jesus Cristo, Eu gosto de colocar meu filho na cama para poder acordá-lo para ir a escola de manhã. Bons tempos, você sabe.

Estou presumindo, você já fez uma tonelada de imprensa para sua nova obra?

Ah, sim…

Então, qual foi a pergunta mais estúpida que você teve até agora? Você sabe, o verdadeiro vira-olhos.

Oh cara! Vou te falar uma coisa, a coisa mais louca é que, com cada álbum novo, há sempre um monte de novas perguntas que começam com as que eu nunca tinha ouvido antes, e então se transformam lentamente naquelas que você apenas pede a morte. Mas a que realmente irrita minhas bolas neste momento é… [adota um tom pseudo-interessado] “Você pode descrever o conceito por trás do álbum?” E eu fico tipo, “Jesus, faça uma droga de uma pesquisa. Eu poderia citar vinte websites só da minha cabeça agora que têm, praticamente palavra por palavra, de como eu já descrevi o conceito do álbum.” É uma daquelas coisas que você tenta encontrar novas maneiras pra tentar responder a mesma pergunta ou o que seja. E não é que elas são perguntas bestas, é a repetição começa a te cansar depois de um tempo. Mas, você sabe, elas também parecem sempre aquelas que são feitas quando você está de mal humor [risos].

Read the rest of this entry →

by Hannya

Corey Taylor e Anders Colsefni : atual e ex vocalista do Slipknot juntos no palco

November 5, 2012 in Anders Colsefni, Corey Taylor by Hannya

Os fãs do Slipknot irão eNlouquecer esta semana em Des Moines quando o Stone Sour tocar no clube local Wooly’s. Isso porque o vocalista original do Slipknot, Anders Colsefni, vai subir ao palco segunda-feira à noite (29 de outubro) com a sua banda atual Painface para abrir o show.

Colsefni apareceu na demo do Slipknot em 1996, ‘Mate Feed Kill Repeat’, antes de deixar a banda um ano depois. O grupo recrutou o vocalista atual, Corey, para assumir após a saída do Anders. Corey está tocando com a sua outra banda, o Stone Sour, enquanto o Slipknot desfruta de um hiatos temporário.

Em um post na página do Facebook do Painface, o grupo revelou: “Devido ao surpreendentemente gracioso Corey Taylor, o Painface foi convidado a abrir para o Stone Sour esta segunda-feira, dia 29 de outubro de Wooly’s. Estamos animados e orgulhosos de sermos capazes de apoiar uma das nossas bandas favoritas e colegas de música de Des Moines. O show está esgotado, mas esperamos que vocês mantenham seus corações completamente endemoniados para nós, se vocês não puderem estar lá. Haverá mais informações a seguir. “

Além do Painface, relatórios da Blabbermouth dão conta que o Anders fez recentemente uma aparição no mais recente Des Moines rock outfit Green Death’s latest EP, que chega digitalmente no dia 30 de outubro.

Fonte: Loudwire

(Vídeo) Campanha #RockinRio2013

October 31, 2012 in Banda, Rock in Rio by Natália

 

Vídeo da campanha: Queremos @Slipknot no #RockinRio2012 @rockinrio com fotos dos fãs enviadas pelo Twitter, o grupo no Facebook e por e-mail. Mais informações sobre a mobilização podem ser encontradas aqui: Campanha #RockinRio2013

 

 

by Hannya

Entrevista com Corey Taylor para a Front Magazine

October 24, 2012 in Banda, Corey Taylor, Slipknot 2012 by Hannya

Na última edição da FRONT, nós conversamos com o Corey Taylor sobre reuniões fantasmas, recusar ghostwriters e nunca se tornar um Gene Simmons

Corey! Como você está?

Estou sobrevivendo com café. Eu estive carregando o burro na última semana – Estocolmo, Paris, Birmingham, Londres… Tem sido insano. É um problema bom de se ter, no entanto. “Ah, dane-se, as pessoas querem saber sobre meus projetos”. O ditado “cuidado com o que você deseja” definitivamente se aplica.

Stone Sour está fazendo um álbum duplo. Muitas pessoas (bom, você, Biffy Clyro e Green Day) parecem estar fazendo isso no momento– coincidência?

Sim, definitivamente, nós não percebemos quantas bandas estariam fazendo isso até entrar no estúdio gravando. Isso derrubou a cereja do topo um pouco porque eu estava tão empolgado e então foi tipo, “Oh droga, Biffy. Vocês são uma grande banda, mas vocês precisam fazer isso? Vocês não podem só se afastar por alguns meses? Green Day, três? Sério?”. Mas não, isso é tudo coincidência. Se House of Gold & Bones já não estivesse encenado na minha cabeça, nós não estaríamos fazendo isso, mas eu podia ver o começo, meio e fim de uma história. Uma vez que comecei a rascunhar as ideias em um caderno, a música apenas começou a vir. Na maior parte, eu não foco nas outras pessoas – Taylor Swift fará seu lançamento na mesma semana que nós. Nós sempre estamos buscando crescimento pessoal, então nós somente competimos com nós mesmos. Vou te dizer uma coisa, e este não sou eu sendo um babaca, este sou eu sendo verdadeiro – Eu colocaria meu álbum contra qualquer um desses filhos da puta agora mesmo.

Mesmo a Taylor Swift?

Sim. Bom, eu não sei se podemos competir com aqueles dentes tortos dela… eu sou tão idiota. Se não fosse pelo Kanye, ela sequer estaria aqui agora. Isso a torna enorme. Eu gostaria que alguém tivesse escalado meu palco. Eu teria dado um soco na cara deles. Na verdade, talvez seja por isso que ninguém fez isso.

E vocês estão transformando o álbum em uma história em quadrinhos também?

Isso é uma das coisas que eu sempre quis fazer. Eu sou um grande fã de quadrinhos, sempre fui, desde criança. Eu tenho o Homem Aranha tatuado na minha perna e o coringa no meu braço. Fazer uma história em quadrinhos é uma das coisas que você coloca em uma lista e espera que um dia a vida lhe dê a oportunidade. Esse projeto era tão grandioso e criativo que isso era perfeito. Irá sair como uma mini série de quatro partes entre o primeiro e o segundo álbuns, e dará ao público aquele terceiro nível. Eu não estou desenhando ele, por que eu não sei desenhar droga nenhuma, mas eu estou adaptando a  história em um script. Eu tinha uma lista de desejos das pessoas e eu tenho todos eles então eu estou me lixando com isso.

Esta não é sua primeira investida em escrever

Bom, meus amigos sabiam talvez de 98% desse material, assim como alguns fãs. Não era sobre fazer uma biografia, porque isso é muito cliché. Você pega caras de 24 anos fazendo biografias, e o que raios eles fizeram? Eu queria algo diferente com o meu livro – começar uma conversa sobre algo que eu me sinto muito apaixonado, onde parte da natureza humana havia sido demonizada, especialmente no meu país. Isso é uma droga, então eu queria interferir e ser o advogado de defesa. Eu não queria meu nome grande na capa e um ghostwriter (a pessoa que realmente escreveu a obra mas não recebe os créditos) abaixo, como qualquer outro babaca. Livros escritos pela Paris Hilton? Dane-se, ela não sabe ler! Minha abordagem para tudo, que talvez é um pouco justa, é que, se eu fizer alguma merda, dane-se, eu fiz, eu reconheço. Eu tive um pouco de sorte até agora.

Você tem muitas faces – Corey Taylor do Stone Sour, Corey Taylor do Slipknot, Corey o autor, Corey o artista solo…

Na maioria das vezes, isso depende de qual projeto que estou fazendo no momento. Eu tento me focar naquilo que está na minha frente. Nesse momento é o Stone Sour, mas no Mayhem Festival mês passado, era o Slipknot. Ano passado, eu era o autor de um bestseller fazendo apresentações acústicas. Henry Rollins realizou grandes feitos fazendo coisas como essas. Eu me atento muito à isso, mas eu gostaria de por minha própria cara nisso, fazendo 90 minutos de comédia estranha falada, e uma hora cantando. Então eu sou um contador de histórias agora. É muito divertido. Tudo se resume a se focar.

Você está acostumado com o sucesso?

Algumas noites atrás, em Estocolmo, uma estação de rádio me levou para uma jantar em um restaurante chique. Eu estava olhando e pensamento: “Droga, mesmo as pessoas feias são mais bonitas do que eu”. Quando nós estávamos prontos, já esperando por um táxi, essas duas pessoas correram pedindo fotos e enlouquecendo. Você pensaria que eu era Sinatra de volta dos mortos. Eu disse que sim, claro, mas isso te pega de surpresa. Está acontecendo mais e mais nos lugares mais estranhos.

Você é um cara muito famoso…

Nunca foi sobre a fama, mas de criar algo com a melhor música, o melhor da arte e dar as melhores letras e as melhores performances. Talvez isso me traga de volta de como é ser tão grande quanto eu poderia ter sido, mas vale a pena. Eu não me importo. Quando você coloca muita ênfase sobre esse lado, ou você está caminhando para se tornar um enorme idiota que as pessoas simplesmente dão uma olhada, ou sua arte vai sofrer. Eu prefiro andar no meio termo. Eu prefiro ser a pessoa mais famosa que ninguém nunca ouviu falar, que ser alguém como o Gene Simmons, porque quando você chega a esse nível, você não é mais você. Você está encenando um papel. Você se torna uma caricatura e não há nada de honesto sobre isso. Você acaba trancado em um filme e, se você não pode ser quem você é, a vida torna-se muito longa. Você precisa de pessoas ao seu redor para trazer você de volta e dizer “não”. Eu tenho um grande ego, confie em mim, você precisa nesta indústria, mas eu posso controlar isso.

Você acabou de fazer o Knotfest, acrescentando um festival ao seu curriculum. É o primeiro de muitos?

Eu ainda não posso acreditar que eu estou fugindo dessa droga. Uma das coisas que nós nos esforçamos para fazer, especialmente com o Slipknot, é manter impulsionado. Eu não posso ter um monte de crédito pelo Knotfest, este era o bebê do Clown. Eu apareci, fiz a minha parte, acenei para as pessoas, cantei… E voltei para o meu ônibus. Contudo, eu estava ancioso sobre isso, porque queremos levá-lo para outros países. Estamos em negociações para o próximo ano, enquanto o fazemos pequeno e inteligente. Havia uma razão para nós só fazemos dois shows este ano. Se tivéssemos tentado fazer isso há dez anos, teríamos falhado, porque teríamos tentado fazer 25 shows gigantes .


Estar em duas bandas, você tem uma agenda-dupla?

Nós nunca fizemos as duas bandas no mesmo dia antes, mas nós fizemos o Rock in Rio juntos, com o Stone Sour tocando na primeira noite e o Slipknot tocando na segunda e isso foi legal porque eu tinha todos os meus irmãos lá. Tive tempo suficiente para me recuperar, os dois shows chutaram a minha bunda, mas ser capaz de voltar para o hotel me ajudou. Mais pessoas estão tentando nos ter tocando  no mesmo dia – vocês são masoquistas?  Você são sádicos? Danem-se!

O Halloween está chegando – já teve alguma experiência paranormal?

Eu tive várias. Quando eu tinha dez anos, eu e alguns amigos escapamos de uma casa abandonada. Nós pensamos em ir à noite, como você faz. Para encurtar a história, todos nós vimos algo muito fantástico que nos assustou de tal forma que ficamos cagando de medo. Só de pensar nisso já faz os pêlos dos meus braços se levantarem. Talvez isso me eleve para alguma coisa além que eu não tenha visto ao longo de anos. As pessoas que não acreditam em fantasmas nunca viram um. Eu vi algumas coisas paralisantes, especialmente na mansão em Los Angeles onde gravamos Vol. 3: (The Subliminal Verses). Às vezes eu ficava me perguntando por que diabos eu estava lá. Nunca houve perigo, mas existiam níveis mais elevados de ser assustado. Eu nunca estive preocupado com minha mortalidade. Eu sou o típico idiota branco no filme de terror que corre para o perigo, porque eu só quero saber. Eu sou como Fred do Scooby-Doo.

Fonte: Front Magazine

by Hannya

Corey Taylor na capa da Metal Hammer

October 23, 2012 in Banda, Corey Taylor, Slipknot 2012 by Hannya

 

Já está nas bancas a revista Metal Hammer inglesa e, na capa, Corey Taylor “incorpora” o super-heroi  – Superman. Encontre este exemplar em livrarias brasileiras como Fnac e Saraiva Mega Store.

 

Fonte: PLAYADELNACHO

by Hannya

Corey Taylor sobre o Comic Con: “Eu sempre serei fã”

October 23, 2012 in Banda, Corey Taylor, Slipknot 2012 by Hannya

Claro que o Corey Taylor é uma estrela de rock. Mas quando ele está na Comic Con em New York, ele é como qualquer outro fã de quadrinhos: feliz por estar lá e no atrás de seus ícones. Taylor foi gentil o suficiente para deixar a Fuse segui-lo enquanto ele passeava durante o último fim de semana para promover seu próximo quadrinho, baseado no novo álbum do Stone Sour: House of Gold & Bones Part 1.

O evento foi especial para Taylor, em parte porque ele tem sido um fã de quadrinho por muito tempo. “Eu comecei a ler quadrinhos quando criança,” ele nos disse. “Minha mãe tinha um monte de quadrinhos da Marvel que eu reivindiquei como meus. É como eu cheguei à leitura. Eu não estava realmente lendo quando eu era mais jovem, mas depois que comecei a ler quadrinhos, eu entrei na leitura. Eu virei um fã desde então. Já estive níveis variados. Mas eu estava em meio aos quadrinhos. Então eu fiquei realmente em meio a figuras de ação e filmes e coisas assim. A minha vida inteira. É algo que eu realmente sou apaixonado e sempre fui”.

Mesmo aos 38 anos, com milhões de discos vendidos e inúmeros fãs, a paixão ainda está nitidamente lá, evidenciada pela emoção de Taylor quando encontrou o lendário escritor de quadrinhos, Garth Ennis. “Eu nem sequer tive tempo para dizer o quão grande ele é“, disse-nos no caminho para conhecer o autor de Preacher. “É uma loucura“.

Após encontrar Ennis, Taylor ficou obviamente emocionado. Eu acabei de conhecer o Garth Ennis”, disse. “Eu estou tão feliz agora. Estou enlouquecendo”.

Ele começou a explicar que, manter o seu entusiasmo por seus herois é parte do que o inspira como músico. “Eu sempre serei fã, se estas são as pessoas que eu cresci ouvindo ou lendo os quadrinhos”, disse ele. “Ainda fico animado sobre isso. Se eu não posso ficar animado sobre o encontro de outras pessoas, como eu posso ficar animado em fazer minha própria música?”.

Ele também explicitou um pouco das regras da Comic Con: “Se você entrar em uma briga na Comic-Con, você certamente é um idiota”.

Fonte: fuse.tv

Página 10 de 43« Primeira...89101112203040...Última »