Slipknot: “Precisávamos de tempo para o luto”

November 12, 2014 in .5: The Gray Chapter, Banda, Corey Taylor, Goodbye, Joey Jordison, Paul Gray, Slipknot, Slipknot 2014 by Slipknot Brasil

10649082_381118058705106_3135756592890635079_o

Depois de uma pausa prolongada, a banda está de volta com seu primeiro disco em mais de meia década.

Durante a maior parte dos últimos 20 anos, Slipknot construiu seu nome no caos e na carnificina. Uma banda com uma reputação indiscutível para a destruição e escuridão nefasta, o coletivo de Iowa usou seus quatro álbuns anteriores para se tornar reconhecida como uma força musical a ser temida. Muito mais do que apenas mais um grupo de metal infringindo na consciência pública, eles foram chocantes, eles eram controversos e, às vezes, eles pareciam quase desumanos.

Foi há quatro anos, quando seu baixista Paul Gray faleceu e tudo mudou para a banda. Hiatos iam e viam, ameaçando acabar com o reinado do Slipknot, mas o grupo nunca teve que lidar com nada parecido com isso. Pela primeira vez, a banda teve que tirar as máscaras, e serem humanos aos olhos do público. Eles tiveram que aprender a se curar.

Read the rest of this entry →

Shawn Craham: “Eu perdi meus pais e não foi tão difícil como perder Paul”

October 21, 2014 in .5: The Gray Chapter, All Hope is Gone, Banda, Brenna Gray, Chris Fehn, Corey Taylor, Craig Jones, Custer, Goodbye, James Root, Joey Jordison, Knotfest 2014, Mick Thomson, Paul Gray, Sarcastrophe, Self Titled, Shawn Crahan, Sid Wilson, Skeptic, Slipknot, The Negative One, Vol. 3: (The Subliminal Verses) by Slipknot Brasil

10649082_381118058705106_3135756592890635079_o

“Eu não costumo deixar as pessoas me verem chorar”, diz o percussionista Shawn Crahan, do Slipknot, com naturalidade. “É muito difícil. Mas quando eu ouvi o que Corey Taylor cantou na música ‘XIX’, eu chorei e chorei e chorei. Doía demais.”

“XIX” é o canto fúnebre que começa o .5: The Gray Chapter, quinto álbum de estúdio dos ameaçadores mascarados do metal, primeiro desde a morte de seu amigo e companheiro de banda Paul Gray, ocorrido em 2010. Crahan, mais conhecido por usar uma máscara de palhaço ensanguentada e convulsionar seu corpo durante os shows frenéticos da banda, tinha construído a faixa como um elogio de três minutos para Gray, baixista fundador do grupo, que morreu de uma overdose acidental de morfina e fentanil analgésico. Crahan falou as palavras de abertura da canção: “”This song is not for the living; this song is for the dead”. (Esta música não é para os vivos, é para os mortos) Mas são as letras que o vocalista Corey Taylor escreveu que o levou às lágrimas: “Walk with me, just like we should have done right from the start/Walk with me, don’t let this fucking world tear you apart” (Caminhe comigo, assim como deveríamos ter feito desde o início/Caminhe comigo, não deixe que a droga desse mundo acabe com você).

Read the rest of this entry →

Corey fala sobre como a morte de Paul uniu mais a banda; e o que esperar da nova turnê

October 18, 2014 in .5: The Gray Chapter, AOV, Banda, Corey Taylor, Custer, Goodbye, Iowa, Joey Jordison, Knotfest 2014, Paul Gray, Prepare For Hell Tour, Sarcastrophe, Shawn Crahan, Skeptic, Slipknot, The Devil In I, The Negative One by Slipknot Brasil

10698482_662883103830146_664103970423559271_n
Antes do lançamento de seu novo álbum, .5: The Gray Chapter, o vocalista do Slipknot, Corey Taylor, fala com Jonty Simmons sobre como lidar com a morte de Paul Gray, os novos membros da banda e o que esperar dos nove quando retornar à Austrália para o Soundwave 2015.

Cada membro do Slipknot foi forçado a enfrentar sua própria mortalidade quando o amigo e baixista Paul Gray faleceu tragicamente em 2010. Na sequência da sua morte, a banda se fechou, e nenhum material gravado surgiu por mais de seis anos. Após um forte luto, eles se encontraram em uma encruzilhada: gravar ou parar. Para uma banda que tinha sobrevivido desde 1999 com todos os seus membros originais intactos, foi uma decisão extremamente difícil. Embora este período de introspecção tenha levado à remoção do baterista de longa data Joey Jordison (em circunstâncias nada amigáveis??), também definiu o caminho certo da banda para fazer o álbum de número cinco, .5: The Gray Chapter.

Read the rest of this entry →