Review : Loudwire Day of the Gusano

August 31, 2017 in Banda by Thais Knox

Foto : Moxi Maldonado

A paixão se traduz em todas as línguas, e isso é exibido de forma completa no novo documentário do Slipknot “Day of the Gusano”. O filme dirigido por Shawn Crahan usa o primeiro show da banda no México no primeiro Knotfest México em 2015 como peça central.

Quando o filme começa, vemos os membros da banda discutindo a estranheza de já terem tocado em todo o mundo, mas nunca terem tocado no país. Mas escolhendo a Cidade do México a banda logo descobriu que estavam em um nível de paixão por sua música que igualava ou até superava o que tinham visto em outros países.

Se você está indo assistir esse filme pela música, você não ficará desapontado. Crahan começa o documentário intercalando cenas da performance com cenas de bastidores da banda no México e a interação com os fãs. As câmeras te levam até o palco com a banda e, em alguns momentos, cara a cara com o Clown e com alguns integrantes da banda. A energia de um show do Slipknot junto com a ação visualmente atraente entregue pelo grupo está em plena exibição, ao mesmo tempo, dando aos espectadores uma visão para o mar de pessoas que lotaram o local no primeiro show da banda no México. Você terá os sucessos como ‘The Heretic Anthem’, ‘The Devil in I’, ‘Wait and Bleed’ e ‘(sic)’, e a multidão cria quase um abalo sísmico no ‘Jump the fuck up’ momento liderado por Corey Taylor. Mas o que torna o filme em algo especial do que só um filme de show são as cenas de bastidores.

O Slipknot chega cedo o suficiente para fazer alguns passeios turísticos antes do show, assistindo acrobatas, fazendo compras na estrada e escalando a enorme Piramide do Sol, fora da Cidade do México, enquanto participam da tradição de fazer um pedido para cada uma das quatro direções. Nós vemos Shawn  Crahan chegando perto do local do show com os fãs perseguindo o veículo com a esperança de ter um vislumbre. E acima de tudo, vemos a resposta maciça à banda da multidão assistindo o show.

Embora milhares de pessoas estivessem disponíveis, o filme se concentra nas historias de alguns fãs, alguns que expressaram o seu amor fazendo mascaras para a banda, fazendo tatuagens em homenagem a cada um dos membros da banda e compartilhando suas historias. O filme não tem legenda, com esses fãs em particular falando em sua língua nativa, mas os olhares em seus rostos e o som da voz se traduzem bem para o espectador. Esses momentos dão emoção ao filme, Crahan explica a conexão afirmando, ‘Eles são eu e eu sou eles’, Enquanto Corey Taylor se abre durante a conversa sobre a conexão dos fãs.

Day of the Gusano não é é só um filme de show, mas também como um documento do “grande coração e paixão” mostrado pelo publico da Cidade do México que fez com que a banda continuasse a trazer o Knotfest de volta ao México desde então.

Fonte : Loudwire